O Fundator

Padre Pancrazio, para o século Nicola Gaudioso, nasceu em Bari a 15 de novembro de 1926 último de seis filhos.
Após a morte prematura de seu pai Domenico a família sustentara-se economicamente com o trabalho de costureira da mãe Giovanna, mestra e exemplo de sacrifício e de oração para os filhos e para as mulheres de seu bairro.
A família fora marcada por um desígnio singular: Anna, a filha maior, falecera após o nascimento de sua filha que crescendo entrou para a ordem das Clarissas tomando o nome de irmã Teresina no mosteiro de Palestrina; outra filha, Angélica, tornou-se irmã Candida no mesmo mosteiro onde, uma vez crescidos todos os filhos, também a mãe se consagraria tomando o nome de irmã Elisabetta.
Dos quatro filhos Leonardo foi o único em casar-se; Giuseppe tornou-se frade Capuchinho tomando o nome de frade Giocondo, missionário em Moçambique; Vito, deixou a marinha militar e segui o caminho do irmão missionário com o nome de frei Giuseppe.
O caminho da consagração foi porém aberto por Nicola que, mesmo sendo o mais jovem, foi o primeiro a entrar na família dos Frades Menores Capuchinhos de Puglia aos treze anos de idade, no dia 10 de dezembro de 1939, dia dedicado a Nossa Senhora de Loreto; vestiu o hábito religioso como frade leigo no dia 13 de maio de 1942 com o nome de frei Pancrazio e emitiu os votos temporâneos a 19 de junho de 1943 em Alessano na província de Lecce. Em 23 de novembro de 1947 emitiu a profissão perpétua na Santa Casa de Loreto onde havia chegado no ano anterior a serviço do Santuário.
Em 1967 foi transferido para o convento dos capuchinhos de Bari e posteriormente, em 1969, para Recanati.
Durante esses anos freqüentou os cursos de teologia no estudantado Capuchinho de Loreto para tornar-se sacerdote.
Em 18 de março de 1973 ordenou-se presbítero no Santuário de Loreto. Passados alguns meses após a ordenação sacerdotal foi transferido para o convento dos capuchinhos de Civitanova Marche onde permaneceu até 1982 ano de início da fundação da Fraternidade que inicialmente teria o nome de ‘Casa Betânia’.
Em 1999 Padre Pancrazio se tornou superior geral da Fraternidade Franciscana de Betânia.