Aprovações eclesiásticas

 

Em 1983 constituiu-se a Associação Privada de Fiéis ‘Casa Betânia’ que em 1985 foi aprovada pelo Ministro Provincial dos frades Menores Capuchinhos de Puglia e, após poucos dias, foi também reconhecida como associação eclesiástica, ex can 299 § 3 C.I.C., pelo Bispo da diocese o Servo de Deus Mons. Antonio Bello que animava seu desenvolvimento.
Em 1987 o mesmo mons. Antonio Bello elevou a comunidade ‘Casa Betânia’ a Associação Pública de Fiéis e sempre ele, em 1992, consultou a Congregação para os Institutos de Vida Consagrada, pedindo a autorização para elevar o Instituto de Vida Consagrada de direito diocesano ‘Fraternidade Franciscana de Betânia’.
Esse pedido concretizou-se em 8 de dezembro de 1998 – Solenidade da Imaculada – com o Decreto assinado pelo Bispo mons. Donato Negro.
Desde então nosso Instituto consta entre as novas formas de vida consagrada que requerem a aprovação pontifícia, como previsto pelo can 605 C.I.C., das quais fala também o Santo Padre João Paulo II na exortação apostólica pós-sínodo Vida Consagrada de 1996 nos números 12 e 62.